segunda-feira, 8 de outubro de 2012

I don't want to tear your world apart, but that's how it's going to be.




      Muitos disseram que este ano o mundo acabaria e que todos encontraríamos o nosso fim. Erradas estas previsões ou não, vi muitos mundos mudarem ou acabarem nesse meio tempo. O meu incluso.
   Foi um ano de mudanças, difícil, duro e impetuoso. E, apenas para contraste, precedido por um 2011 leve e alegre. Poucas coisas permaneceram em seus lugares (talvez lares) anteriores e, quer gostemos ou não, não há mais volta.
   Talvez o importante de tudo isso não seja focar no processo em si, mas sim em seus resultados. Abandonar os vícios e saudosismos, quem sabe até a esperança, e focar no futuro. Focar em dias melhores e anos mais leves; com invernos menos pesarosos e primaveras amenas. Pensar e re-planejar objetivos, criar novas alegrias da simplicidade.
   Enfim, que o ano novo traga sim uma vida nova. Há tempos precisamos começar a cumprir nossas promessas de recomeço.

4 comentários:

M. Stutz disse...

Pois é, parece que 2012 não está sendo fácil pra ninguém. Uma carga bem pesada, bem maçante.
Fim de um mundo comodista, fim do nosso mundo zona-de-conforto, talvez.
Mas fim. Cabou, uma hora acaba, e pode ser assim: até bem no início de Outubro.
2012 acabou. Cabô o mundo.

Vem, mundo novo.
(E quero que você venha comigo)

Julia Malaguti disse...

Vou com você até o fim do mundo!

Anônimo disse...

tudo tem um lado bom, você se livrou de uns 90kg de peso morto kkkkkkkkkkkk

Julia Malaguti disse...

Obviamente só você achou graça nisso.