quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Encolheu e encolheu até sumir.

Secaram-me as palavras, como quando se torce uma blusa molhada em uma chuva de verão, arrancaram-me cada gota. Pingou e pingou até sobrar um pequeno pano úmido, eu. Pensamentos apenas arranham, coçam nos cabelos, mas não me escorrem pelos dedos. Meus medos não têm mais formas, literárias ou não.
A pequena menina de cabelos vermelhos e pele branca fugiu, escondeu-se em uma brincadeira. Ou talvez realmente tenha partido, já era hora. Era? Não sei.

Um comentário:

zadora. disse...

Você consegue escrever sobre o fato de não conseguir escrever.

Mas a menina não partiu. Ela está bem aí.