quinta-feira, 26 de junho de 2008

to me, you are perfect.

Sabe.... é, acho que sim. Deveria, é tão obvio. Ao menos parece-me assim, transparente. Não sei, é complicado. Sempre foi, certo? Deve ser a graça. Eu só queria.... é, queria. Essa simples vontade no subjuntivo, algo bem ilógico na verdade. Sempre me chama assim; ilógica. Talvez o mais certo fosse “incomum” ou, até mesmo, “louca de pedra” (por você).

Rasgaria os pulmões a gritar cada palavra que te digo com o olhar e não entendes. Aquelas pequenas, com ar de inocentes, que escorregam por entre meus cílios, parecem-me lágrimas invisíveis.
Derrubaria muralhas e queimaria jardins que construí em volta desse castelo. Deixaria que corresse por cada cômodo e corredor, escancarasse portas e janelas, abrisse cada baú trancado com meus segredos dentro.

6 comentários:

Rodrigo disse...

Quando vejo "0 comentários" no seu blog, não é a mesma sensação de sempre; não é como se fosse um blog abandonado, visitado por ninguém. Na verdade, as pessoas hesitam em comentar por medo de estragar o que foi escrito.

Noelle Bilbáo disse...

Que tal vc me adicionar nos seus favoritos??
Eu amo seus textos!!! =)
Beijos Ju

Juju disse...

Bate no coração a vontade, ainda que de vez enquando, de dizer o quanto alguém ainda é perfeito pra mim... dolorido, não???
Mas não por muito tempo... huahauhaua
Beijooos Ju!

aaluah disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
aaluah disse...

talvez a pessoa a quem voce diz tanto sem dizer nada, nao seja merecedora da tamanha declaracao do seu olhar.


acontece com meu olhar tambem.
e acho que o receptor nunca vai entender que digo pelos olhos as coisas do coracao.



gostei muito do que escreves :)

Anônimo disse...

Por que nao:)