segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Mamihlapinatapei


"Sabe...."
"O que?"
"...... nada."
"É, sei."
E sorriu enquanto o olhava nos olhos, sorrindo seu sorriso sincero, até que ambos voltaram a se concentrar no café que seguravam. Ela mexendo a colher e ele apenas olhando, maior parte do tempo observando o que fazia.
"E se eu te dissesse tudo?"
"Tudo o que?"
"Tudo."
"Talvez eu te amasse mais, talvez menos, mas ainda estaria aqui."
"Mentira."
"Verdade, voce sabe que é."
"E voce nunca iria embora?"
Ela apenas cantava junto a musica, com os olhos fechados, distraida. Talvez tivesse escutado a pergunta, provavelmente sim, e a respondesse assim. Terminou a sua chícara e levou as duas para a cozinha, sem deixar que seus olhos cruzassem os dele, não sabia exatamente o porque ainda. Voltou enrolada no casaco jogado no chão da sala, deve ter passado os ultimos dias ali, abandonado. Sentou no seu colo na ponta da cama e beijou seu rosto, esfregando a bochecha na barba mal feita, a mesma musica ainda tocando repetidamente.
"Por que se vestiu?" Ele perguntou passando a mão por ebaixo do casaco.
"Estava com frio."
"Eu podia te aquecer."
"Eu sei, mas resolvi dar um descanso ao seu abraço, e o casaco parecia tão sozinho la na sala."
"De voce meus abraços nunca querem descanso."
"Será?"
E o beijou nos labios mais uma vez, deixando-o tirar o casaco para recomeçarem tudo. Já perdia a noção se era dia ou era noite, se tinha fome ou se comera, quantos cigarros fumara ou se o maço continuava vazio, e de quem era antes de entrar naquele quarto.

[ Bon Iver - Woods ]

2 comentários:

Clarissa Braga disse...

Não ter mais noção das coisas... coisa gostosa. Passou bem o clima desse esquecer, desse perder-se em alguém.
Parece uma música.

R.L. disse...

A gente percebe quando está ferrado, quando nos deparamos ali, parados. Num lugar que não é mais um lugar, e sim um universo paralelo de dois.
Mas temos de voltar a realidade, e dói.
Mas que seja infinito enquanto dure não é mesmo...

adorei o texto, o anterior ainda mais, acho que pelo rítimo e entrelinhas...

um beijo alcoolizado

ou embriagado dessa coisa que chamamos de paixão....