sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

[ Imogen Heap - Earth ]


Borrifou o perfume pelo corpo e pôs-se a girar pela casa, descendo escadas e esbarrando nas estantes, derrubando tudo ao seu redor. O vestido cada vez se espichava mais, crescendo e dobrando de comprimento. Queria dividir seu aroma por todos os cantos, cada pedaço que conseguisse, ignorando os gritos da mãe para que parasse já!!! Enquanto isso gargalhava alto, tropeçando em seus próprios pés de tonta, encaracolando mais os cachos. Estava em todos os centímetros da casa agora, com o seu aroma, sua essência, tudo aquilo lhe pertencia e era definitivo. Mesmo assim continuou a rodopiar, pelo jardim, pisando nas begônias tão bem cuidadas e cortando pés e braços em roseirais.
“Sou apenas feliz. Livre. É isso, sou livre e tudo isso a mim pertence.” Gostava da contrariedade da frase, queria ser a oposição em si. Se pudesse, traria a chuva só para chamar o sol e logo puxar a lua, e faria disso o seu curso de estações. Cantou alto o solstício de verão e jogou-se no chão, transformou em flor, bailarina e borboleta, tudo junto, misturado em uma nuvem, e logo choveu por todos os cantos, gritando em trovoadas

5 comentários:

kinder_ovo disse...

finalmente textos felizes.... ridicula

Clarissa Braga disse...

Você já sabe o que eu achei desse texto. FODA!
É muito gostoso de ler, da vontade de rir e mecher no cabelo que nem a menininha... O final é sensacional, de chover por todos os cantos e gritar em trovoadas. GOstei muito mesmo.
BOm texto pra iniciar o ano!

Stutz disse...

é bonito chover assim .. chover de causar enxentes e derrubar encostas.

Luíza disse...

Só venho informar que o "Corações Tatuados" mudou de nome! Cansei de falar de amor: http://torradeiravoadora.blogspot.com/
Obrigada por acompanhar!

Beijos!

Bianca disse...

Uma flor... ah, como eu desejo ser uma flor! Sempre leio aqui, Ju. Vez ou outra não comento, mas sempre leio. E é tão gostoso que parece chocolate meio amargo com café preto. Um beijo, borboleta!